UROCLIN MACAÉ


Rua: Vereador Manoel Braga, 151
Centro - Macaé - RJ
27910-350

Agende sua Consulta: (22) 2762-5215 / 99978-8076 (Whatsapp)


uroclinmacae@uol.com.br

A cirurgia de vasectomia e o risco de desenvolver câncer de próstata

 
De acordo com recente estudo canadense, realizar uma cirurgia de vasectomia não aumenta o risco do paciente desenvolver câncer de próstata – ou de morrer por esta causa.

Para dimensionar o tamanho da discussão: o câncer de próstata é o segundo tipo mais comum de tumor maligno sólido. Já a cirurgia de vasectomia é realizada por cerca de 1% da população masculina norte-americana, entre homens com 25 e 49 anos de idade – gerando cerca de 500.000 vasectomia/ano nos Estados Unidos da América.

Estudos tentam entender se a cirurgia de vasectomia possui ligação com o câncer de próstata

Conforme explicou o Dr. Madhur Nayan (pesquisador da Universidade de Toronto), este tema estava causando alguma controvérsia pois alguns estudos prévios mostraram uma possível associação. Na busca da solução para essa questão, os pesquisadores arrolaram um grande número de pacientes – 653.214 homens – e os acompanharam por um longo período – ao menos a metade desses pacientes foram acompanhados por 11 anos. Esta amostra foi dividida em dois grandes grupos: 326.607 homens, entre 20 e 65 anos de idade, que realizaram a vasectomia e outros 326.607 homens com a mesma faixa etária (grupo controle).

Durante o período do estudo foram diagnosticados 1.843 casos de câncer de próstata entre os que realizaram a cirurgia de vasectomia versus 1.619 casos de neoplasia no grupo controle. 50 homens morreram de câncer ao longo do estudo. Em números absolutos, houve mais chance de neoplasia agressiva de próstata (5%), maior probabilidade de doença avançada no momento do diagnóstico (4%) e maior chance de morte (6%) no grupo que realizou a cirurgia de vasectomia. Entretanto – e aqui é o ponto mais importante do estudo – devido ao grande número de pacientes e ao longo seguimento, não houve diferença estatisticamente significativa para esse números entre os dois grupos estudados. Ou seja, a chance dessas diferenças terem ocorrido por sorte ou azar (aleatoriedade) ou por relação de causa (vasectomia) e efeito (câncer de próstata) é a mesma – logo, não existe relação de causa e efeito.

Conforme declarou o Dr. Madhur Nayan: “nossa percepção é de que os resultados refletem, com acurácia, a verdadeira relação entre a cirurgia de vasectomia e câncer de próstata – ou seja, sem relação de causa e efeito”. Desta forma, nenhum homem deve se sentir impedido ou temeroso de realizar a vasectomia por receio de desenvolver câncer de próstata.